Quando não há caminho de volta…

Na história de Jacó e Esaú, encontramos o episódio citado em Hebreus 12.16,17, como uma advertência para nós hoje!
Detenho-me no versículo 17, quando cita o que Esaú quiz depois: “Porque bem sabeis que, querendo ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado, porque não achou lugar de arrependimento, ainda que com lágrimas o buscou”.
Esaú quiz voltar atrás, mas era tarde demais! Não havia retorno!
No caminhar da vida, por vezes, entramos por caminhos que não há retorno.
Cometemos erros que não podem ser corrigidos, falamos palavras que não podem voltar, agimos de forma que não dar de reparar, mesmo que queiramos.
Esaú não achou lugar de arrependimento, ainda que o tenha buscado com lágrimas! Que triste!
Não havia como voltar atrás, e agora?
Agora, viver com o peso de ter tomado o caminho errado!
Arcar com as consequências, por mais difícéis que sejam!
Isso quer dizer que há coisas que fazemos que não adianta nos arrependermos?
Não, absolutamente não!
Entendo que o texto quer dizer que o arrependimento de Esaú não repararia o erro cometido.
Devemos nos arrepender sim para ficarmos bem e em paz com Deus, mas não sendo possível corrigir o erro, seguir a vida e tentar amenizar as consequências daqui para a frente!
Deus nos perdoa de todo pecado, mas não nos livra das consequências que o pecado traz.
Há pessoas que não suportam isso, e passam a viver amarguradas o resto da vida!
Esse não é o caminho!
Mesmo que não seja possível corrigir o erro, é possível corrigir o SER.
Deus nos mostra um novo caminho, nos dar uma nova oportunidade!
As coisas que para atrás ficam não podem nos impedir de continuar a vida!
Sei que os que passaram por isso jamais serão os mesmos!
Mas também sei que é possível um caminho novo e uma vida nova!
Siga-os!

Porque bem sabeis que, querendo ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado, porque não achou lugar de arrependimento, ainda que com lágrimas o buscou.
Hebreus 12:17
Porque bem sabeis que, querendo ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado, porque não achou lugar de arrependimento, ainda que com lágrimas o buscou.
Hebreus 12:17
Porque bem sabeis que, querendo ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado, porque não achou lugar de arrependimento, ainda que com lágrimas o buscou.
Hebreus 12:17
Porque bem sabeis que, querendo ele ainda depois herdar a bênção, foi rejeitado, porque não achou lugar de arrependimento, ainda que com lágrimas o buscou.
Hebreus 12:17
Advertisements

About Auriberto Feitosa

Ministro do Evangelho de Jesus Cristo, ou seja, simplesmente um servo.
This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

2 Responses to Quando não há caminho de volta…

  1. Boa noite, irmão.

    Será que essa questão da falta de arrependimento de Esaú não teria a ver com o fato dele ter cogitado em matar Jacó?

    Inicialmente devemos ver alguma virtude em sua pessoa, no sentido dele ter honrado os pais durante um período de sua vida. Este comportamento nos levaria a entender que ele amou profundamente a Isaque, respeitando-o e o servindo fielmente até então. Vejamos que o pai disse ao filho que saísse ao campo e caçasse um animal para comer uma iguaria, para que sua alma pudesse abençoá-lo antes de sua morte (Gn 27:3-4). Isaque queria conceder bênçãos a Esaú e este ganhou o estima de seu pai.

    Mas o que acontece quando Esaú descobriu que seu irmão recebeu a bênção? Ele não gritou com seu pai, como muitas vezes é ouvido em nossa geração: “como pode fazer isso?” Tudo que Esaú podia fazer foi chorar forte e amargamente, e a seu pai limitou-se a perguntar: “Não pode abençoar-me também, pai?” (id. 34). Isaque encontrou então uma bênção que não tinha ainda concedido a dá a seu filho mais velho. Porém, o rancor de Esaú não evaporou. O que aconteceu a partir de lá foi que ele passou a alimentar o ódio dentro de si contra Jacó por causa da bênção com que seu pai o tinha abençoado. Pensou que, por causa da aproximação da morte do pai, poderia matar o irmão.

    Que pensamento assombroso, não? Como alguém que tanto amava a seu pai passa a desejar sua morte?!

    Ora, o crente deve sempre vigiar porque as paixões podem nos levar contra a nossa própria sanidade de modo que, quando estamos furiosos, somos capazes de nos voltar contra o nosso melhor amigo, nosso aliado mais próximo e até mesmo contra os nossos pais! Esaú, que teria vivido seus primeiros 63 anos servindo com amor fielmente Isaque, mudou completamente em um instante depois de um ataque emocional. Ao invés de se preocupar com o bem estar de seu pai, aguardava o dia da despedida. Tudo para se vingar de Jacó!

    Quando as paixões e obsessões cegam nossa visão, amigos se tornam inimigos. Em busca de uma vingança paranoica, o ego pode fazer de nós inimigos até mesmo daqueles que mais profundamente, amamos. Inclusive em relação a Deus, nosso Pai Eterno.

    A paz do Senhor!

  2. Em tempo!

    Fazendo um breve acréscimo ao que havia colocado nos comentários, eis que Esaú era alguém que desejava ser meritoriamente reconhecido pelo que fazia. Curiosamente que a interpretação de Hebreus nos fala da separação da graça (Hb 12:15). Se pensarmos bem, a dedicação que ele teve em relação ao pai até aquele momento não o colocou na dimensão da gratuidade. O arrependimento que é o correto caminho do retorno, exige esse encontro com a bondade generosa de Deus, coisa para a qual Esaú permaneceu fechado.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s